Antes que se diga alguma coisa, esse texto não tem o intuito de atingir nenhuma modalidade, metodologia, grupo e/ou pessoa. O que está aqui embaixo não tem nenhuma relação com que esporte ou atividade você optou praticar, mas sim como você encara isso.

Com a proliferação da informação e exposição de diferentes metodologias de treino na internet, a linha que separa atletas e praticantes pode ser um tanto nebulosa ou até mesmo inexistente.

Vamos ao que interessa, o que te faz um atleta ou um praticante? Se você compete, você deve ser um atleta, certo? Mas e se você treina três vezes na semana e se inscreve em algum tipo de competição duas vezes ao ano? Eu não acredito que competir é a característica determinante de um atleta, mesmo que eu considere isso um elemento extremamente importante. O que realmente importa é como você organiza seus treinos na sua rotina e com qual intenção e mentalidade você encara isso.

Por que importa em qual dos dois você se enquadra? Porque mesmo que ambos (atletas e praticantes) façam muitas coisas semelhantes, o JEITO que essas coisas são feitas é costumeiramente diferente. Mantenha uma coisa em mente, esses dois termos não são julgamentos. Praticantes não são pessoas inferiores aos atletas, eles simplesmente possuem prioridades e objetivos diferentes. O ponto que queremos tocar aqui nesse artigo é para te ajudar a definir como fazer o que você já está fazendo da melhor maneira possível. 

 

  • Organização

 

Um atleta constrói o resto da sua vida ao redor dos treinos e de suas competições; um praticante tenta arranjar tempo para conseguir ir treinar. É claro que existe um meio termo aqui e não só o cenário de 8 ou 80. Para os atletas, um trabalho é secundário em comparação com seus treinos e competições. Entretanto, caso você acredite ser um atleta (ou quer se tornar um atleta), os treinos, a recuperação e as competições precisam ser a sua primeira prioridade, e não pequenas excessões que você faz depois que tudo na sua vida já está organizado.

 

  • Propósito & Objetivos

 

O propósito e objetivos dos atletas estão diretamente ligados a suas perfomances. Seus treinos são elaborados para alcançarem certos pesos, tempos e/ou números. Não existe treinos para “ficar bonito pelado” ou para ter saúde. Isso não significa que atletas não valorizem essas duas coisas, mas sim que são consequências da verdadeira razão do porque estão treinando.

Praticantes podem ter objetivos relacionados a suas perfomances, mas geralmente as razões principais são saúde e aparência física. Não há NADA de errado nisso. Quem ousaria dizer que ser saudável é um objetivo idiota? A diferença aqui é uma, a mentalidade. É ela que influência outros fatores como as expectativas, as dores, as possíveis lesões e como tudo isso é encarado.

Determine as suas prioridades. Você está disposto a deixar tudo de lado a ponto de melhorar a sua perfomance no esporte ou saúde e aparência a longo prazo são a sua única preocupação?

 

  • Progresso & Habilidade

 

Um praticante não deve esperar ter progressos tão constantes e notáveis no mesmo nível de um atleta. Além disso, é de se esperar que a habilidade dos dois para executar o que seu esporte requer nunca será a mesma. Isso nada mais é que o resultado do tempo e esforço colocado na prática e treino, é o reflexo do empenho e da dedicação.

O atleta com 20+ horas de treino por semana cujo estilo de vida é direcionado para a prática e recuperação será capaz de conquistar mais do que o praticante que encaixa uma hora e meia de treino por dia ao longo de alguns dias da semana.

Na verdade, alguns dos praticantes possuem mais potencial do que alguns dos atletas, mas isso nunca será alcançado se a sua prioridade não for essa e você não fizer o que é necessário.

 

  • Dor, Lesões & Tratamento

 

Qualquer pessoa que pratica exercícios físicos irá, em algum momento, experienciar dor e micro lesões. Geralmente, atletas terão dores e lesões mais frequentemente e de maior complexidade, mas lesões serias entre praticantes tem se tornados mais comum nos últimos tempos.

Os atletas estão dispostos a se lesionar e lidar com dores a fim de melhorar seu desempenho, e isso é muito mais razoável e racional do que um praticante fazendo o mesmo. Se seus objetivos são ser saudável e atraente fisicamente, lesões, cirurgias e afins não fazem muito sentido. Se você é um atleta, você quer evitar essas coisas também, mas não porque são ruins, mas sim porque te atrapalham a alcançar seus objetivos. Já quando lesões acontecem, atletas administram isso de forma totalmente diferente quando comparados aos praticantes.

Para um praticante, cuidar de uma lesão significa se curar e prevenir que qualquer outro dano volte a acontecer. Para um atleta, o cuidado com uma lesão é mais sobre a possibilidade de voltar aos treinamentos o mais rápido possível com a menor perda de eficiência em sua técnica e perfomance, mesmo que a lesão em si não esteja completamente curada.

 

 Quem é você dentro do seu esporte?

 

Descubra onde você se encaixa no espectro de atleta e praticante. Entenda claramente o seu propósito e suas prioridades. Uma vez que você fizer isso, você vai ser capaz de fazer escolhas inteligentes para treinar, recuperar e pensar na forma que melhor suporta os seus objetivos.