Os famosos compostos bioativos (CBAs) são substâncias encontradas em pequenas quantidades nos alimentos, principalmente de fontes vegetais. Apesar de não serem essenciais à vida, possuem inúmeras funções no organismo humano que favorecem a manutenção da nossa saúde [1]. Hoje, veremos cinco benefícios de consumir mais compostos bioativos em nossa alimentação.

 

- ANTI-INFLAMATÓRIO

A inflamação pode ser aguda - quando você bate o dedinho do pé na perna da cadeira - ou crônica - decorrente dos maus hábitos de vida e de alimentação. Nesse segundo caso, a inflamação não é perceptível, como no primeiro, mas está presente no organismo. Por isso ela é tratada como uma inflamação de baixo grau. É importante dizer que os CBAs podem atuar nessas duas formas, mas o foco aqui é na inflamação crônica.

A inflamação crônica de baixo grau é caracterizada por um aumento nos mediadores pró-inflamatórios, como TNF-alfa, IL-6, IL-1Beta e proteína c-reativa, no organismo. Os CBAs são capazes de bloquear a ação desses mediadores e/ou reduzir suas concentrações [2, 3, 4], diminuindo assim o nível de inflamação no corpo. Esse efeito anti-inflamatório pode melhorar a disposição no dia a dia, o processo de emagrecimento, a recuperação entre os treinos, além de evitar o aparecimento/agravamento de muitas doenças, como diabetes, câncer, doenças autoimunes, etc. 

 

- ANTIOXIDANTE

O péssimo estilo de vida (dormir mal, ingestão excessiva de bebida alcóolica, fumar, sedentarismo, viver em ambientes estressantes) e os maus hábitos alimentares (grande ingestão de açúcar e industrializados, baixo consumo de frutas e hortaliças) da nossa população acabam acarretando o que chamamos de estresse oxidativo, que acontece quando a produção de radicais livres supera a capacidade do organismo de combatê-los [5].

Quando estamos submetidos ao estresse oxidativo, nossas estruturas celulares – DNA, proteínas e lipídeos - começam a ser danificadas [6]. Nosso corpo possui meios próprios para combater os radicais livres, mas, muitas vezes, ele não dá conta sozinho, então precisamos obter compostos antioxidantes de forma exógena – e é aqui que entram os CBAs. 

A literatura científica tem mostrado a capacidade desses compostos em auxiliar nosso corpo no combate aos radicais livres: i) por ação direta, como quelante de metal ou como um agente sequestrador de radical livre; ii) por ação indireta, fazendo com que o corpo aumente a produção de enzimas capazes neutralizar os radicais livres [7,8,9]. Os benefícios são similares aos vistos na ação anti-inflamatória.

 

- ANTICÂNCER

Nesse ponto, já aproveitamos bem o efeito anti-inflamatório e antioxidante dos compostos bioativos para reduzir o risco de câncer. Mas a ação dos CBAs pode ir muito além disso, chegando a nível genético. Alguns CBAs são capazes de regular a acetilação e desacetilação de histonas, o que pode interferir no crescimento e morte celular, por exemplo [10]. 

Imagine que você tem uma célula que está defeituosa e que, por isso, pode dar início a um câncer. Seu organismo pode eliminar essa célula, mas às vezes ela acaba passando despercebida. Os CBAs podem auxiliar nesse processo, acelerando o processo de morte dessa célula defeituosa.

 

- SAÚDE CARDIOVASCULAR

As doenças cardiovasculares representam a principal causa de morte nos países desenvolvidos e está entre as que mais matam nos países em desenvolvimento [11]. Por esse motivo, precisamos ter uma atenção especial em nossa saúde cardiovascular. Nesse aspecto, o consumo de CBAs também tem si mostrado benéfico.

Assim como na propriedade anticâncer, aqui também podemos aproveitar as ações antioxidantes e anti-inflamatórias dos CBAs, mas também podemos encontrar estudos na literatura científica que mostra uma ação desses compostos em reduzir a pressão arterial e melhorar a função endotelial dos vasos sanguíneos [12], reduzindo o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

 

- TERMOGÊNICO

Alguns CBAs possuem um efeito termogênico em nosso corpo. Mas é importante ressaltar que não há milagre – ninguém vai emagrecer simplesmente por consumir CBAs. Coma corretamente e faça exercícios físicos.

Vejamos o exemplo do chá verde. Essa bebida é feita por meio da infusão da folha da Camellia sinensis e possui uma boa quantidade de CBAs. Os compostos encontrados no chá verde são capazes de inibir uma enzima chamada de catecolamina o-metiltransferase (COMT) [13]. Por meio dessa inibição, os níveis de adrenalina podem ser elevados, fazendo com que haja uma maior mobilização da gordura do tecido adiposo.

Se você se convenceu a aumentar o consumo de compostos biotivos na sua alimentação, não deixe de participar do nosso desafio EATandLIFT. Essa semana é justamente a que estamos estimulando o consumo dos CBAs. Portanto, consuma mais hortaliças, frutas, chás e temperos naturais. Quanto maior a variedade alimentar, mais diversidade de compostos será obtida. 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] Am J Med. 2002 Dec 30;113 Suppl 9B:71S-88S.

[2] PLoS One. 2014 Sep 5;9(9):e107072.

[3] Clin Vaccine Immunol. 2006 Mar;13(3):319-28.

[4] Molecular and Cellular Biochemistry. October 2015, Volume 408, Issue 1, pp 63–72.

[5] Mutat Res. 2004:567(1):1-61.

[6] Antioxid Redox Signal. 2003:5(5):507-16.

[7] Curr Drug Metab. 2009:10(6):530-46.

[8] J Nutr Biochem. 2010:21(1):47-54.

[9] Arch Surg. 2011:146(5):556-64.

[10] Gene. 2015 May 10;562(1):8-15.

[11] Int J Vitam Nutr Res. 2012 Jun;82(3):148-56.

[12] Nutrients. 2015 Jul; 7(7): 5177–5216.

[13] Am J Clin Nutr 2013;98(suppl):1682S–93S.