Chegamos finalmente à última semana do WARM UP do desafio EAT and LIFT. A tão “desesperadora” semana de se retirar os industrializados da alimentação. Neste sentido, a GENES Consultoria Nutricional acredita que a mudança de comportamento alimentar dá-se de forma gradual, e que o CONHECIMENTO é fundamental para isto. Assim, trazemos hoje alguns motivos para que você corte de vez a maior parte dos industrializados da sua alimentação.

Vamos a eles?

 

Corantes artificiais e desordens de atenção (Déficit de atenção, hiperatividade...)

Apesar de aparentemente inocentes, os diversos corantes utilizados para “agradar” aos nossos olhos estão se mostrando grandes vilões de nossa saúde. Os principais prejuízos atribuídos atualmente ao consumo destes aditivos químicos estão relacionados às desordens de atenção, como o déficit de atenção e a hiperatividade. 

Estudos robustos, como uma meta-análise (apanhado de diversos artigos científicos) lançada em 2012, mostraram que a restrição da ingestão de corantes artificiais acarretou em uma melhora bastante significativa da atenção e demais sintomas relacionados à hiperatividade.  Demonstrando-se que a restrição de balas, biscoitos, refrigerantes, sucos artificiais e demais alimentos que contêm estes corantes é uma excelente estratégia para melhora do desempenho cognitivo, seja nos estudos ou no trabalho. [1]

Parece que aquele suquinho em pó, light não é dos mais inocentes, correto? Já que contém os mais diversos corantes e adoçantes (estes serão abordados no próximo tópico). Na prática, prefira tudo que tenha cor de maneira natural, pois, além de bonitos aos olhos, as cores naturais estão associadas aos mais diversos nutrientes benéficos, como vitaminas e compostos bioativos.

 

Adoçantes artificiais

Aaaahhhh, o sabor doce como é agradável... E lógico, se o açúcar é considerado um grande vilão da saúde e da estética, vamos dar um jeito de “burlar” o sistema. E é nesta lógica que vem os adoçantes, como os possíveis salvadores da pátria, pois, apesar de adoçarem bastante, em sua grande maioria, não têm calorias (que maravilha, não?!).

Mas parece que a história não é tão simples. Parece que a vida não pode (nem deve) ser tão doce assim. Estudos e mais estudos vêm nos alertando cada vez mais sobre o uso de adoçantes artificiais e sua repercussão NEGATIVA para nossa saúde. 

Equipe GENES, se eles não têm calorias, como eles podem afetar negativamente nossa saúde? A resposta é simples e permeia um tema amplamente estudado pela ciência atual: MICROBIOTA INTESTINAL. Sim! Por alterações negativas em nossa microbiota intestinal, os adoçantes se mostram capazes, entre outros diversos malefícios, de nos induzirem a ter diabetes. [2]

Isso mesmo, logo os adoçantes artificiais, tão recomendados para os indivíduos diabéticos, podem na verdade induzir ao processo de resistência à insulina por alterações negativas em nosso perfil microbiológico intestinal. [2]

E lógico, além deste “pequeno” efeito colateral, o consumo abusivo de adoçantes nos gera um paladar viciado no sabor doce, o que está longe de ser saudável, pois o açúcar naturalmente presente nos alimentos, já não “mata” nossa vontade de doces, devidos às pequenas concentrações. Desta forma, tente mudar seu paladar e se acostume com o açúcar presente naturalmente em frutas e vegetais. Isso sim é saúde!

Fica a dica: fuja de QUALQUER adoçante artificial, desde o aspartame até a estévia. Atualmente a ciência não nos dá respaldo científico para utilizar nenhum destes em nossa alimentação com segurança.

 

Emulsificantes artificiais

Sempre que buscar alimentos de consistência pastosa e que forem LIGHT ou DIET, ou ainda produtos alimentícios em pó, possivelmente foi necessário adicionar bastante emulsificante para que ficasse “gostoso” ou para que eles diluíssem melhor na água.

Sem mais delongas, os emulsificantes artificias vêm se mostrado potencialmente lesivos à saúde. Principalmente por mecanismos parecidos aos elucidados nos adoçantes, ou seja, por alteração negativa na nossa microbiota intestinal. Estudos vêm mostrando que o consumo de Carboximetilcelulose ou de Polisorbato 80 - encontrados em iorgurtes, por exemplo-, por alterar negativamente nossa microbiota, levando a um maior ganho de peso e resistência à insulina. [3] 

O pior é que esse problema foi criado pelo homem, que ao condenar erroneamente a gordura dos laticínios, escolheu retirá-la e adicionar emulsificantes para deixar o iogurte mais gostoso e vendável. O que deve ser feito, basicamente: coma alimentos integrais, a exemplo do iogurte natural integral, que não precisa de emulsificantes, e para os demais produtos alimentícios, fique atento à lista de ingredientes. Fuja de nomes desconhecidos.

 

Conclusão

Como podemos ver, vários dos aditivos químicos amplamente utilizados nos alimentos industrializados podem trazer diversas repercussões negativas à qualidade de vida. E a solução é simples: coma comida de verdade! Entenda como comida de verdade tudo que for ALIMENTO, não processado, ou minimamente processado. O restante, ou seja, os PRODUTOS ALIMENTÍCIOS, processados ou ultra-processados, devemevitados em nossa alimentação cotidiana.

 

1 - J Am Acad Child Adolesc Psychiatry. 2012 Jan;51(1):86-97.e8. doi: 10.1016/j.jaac.2011.10.015.

2 - Nature. 2014 Oct 9;514(7521):181-6. doi: 10.1038/nature13793. Epub 2014 Sep 17.

3 - Nature. 2016 May 4;536(7615):238. doi: 10.1038/nature18000.